Os artigos assinalados como Voz do Libertário são da exclusividade dos militantes da associação Partido Libertário e refletem a opinião pessoal dos respectivos autores.

Select Page

Destruição Como Nunca visto

Estava-se mesmo a ver que ia dar asneira. Deixar uma catrefada de gente receber subsídios, falhar com as prestações do crédito, não pagar o aluguer e as contas da casa, ficar proibido de trabalhar, entre outras medidas cegas, só pode correr mal. Não é preciso já ter visto muita coisa na vida para saber que o afastamento socialista é uma péssima ideia.

A pandemia do comunavírus colocou à vista desarmada uma quantidade inédita de defeitos do Estado Social, ou do socialismo desmascarado. A começar pela falta de respeito pela liberdade dos outros, passado pela mentira militante das castas de jornalistas e académicos e políticos e médicos de saúde pública, chegando até ao oportunismo e hipocrisia sem face da população em geral. Tudo pecados velhos, mas que não estavam assim tão visíveis.Quem teve o mérito de primeiro prever o desvendar deste triste espetáculo, foi um genial francês, Frederic Bastiat, que em pleno 1870s e no meio de uma extensa obra fundamental, identificou o que ainda não dava para ver, mas que faz toda a diferença na prosperidade das nações. Um mecanismo conhecido por Unseen Effect.

Com o seu Nunca-visto, Bastiat desmontou a Falácia da Janela Partida, e com isso, desmascarou o erro voluntário, ou melhor dizendo a mentira mal intencionada, de todos os marxistas que se lhe seguiram. Diziam e dizem esses bandalhos invejosos, que se alguma criatura mal intencionada partir uma janela, por exemplo ao trator de um agricultor, o vandalismo seria bom para a economia, pois que se o desgraçado do agricultor iria agora perder tempo e dinheiro a arranjar a máquina, por outro lado, o dono da oficina mecânica iria ganhar um cliente e uma renda extra, que por sua vez poderia aplicar a comprar mais coisas (quem sabe a gratificar o gandulo que partiu o vidro em primeiro lugar) dinamizando, com este desmando gratuito, toda a economia.

Qualquer pessoa decente cheira à distância o esturro nesta história. Perguntando-se: “Como é possível que arrebentar com o trator do agricultor à pedrada, pode ser algo de bom para a economia?” A resposta, dos marxistas rapinadores, recorre a uma falsificação rasteira: Foi um Estímulo, dizem eles. O agricultor, ao levar com a pedrada, foi incentivado a gastar dinheiro que tinha poupado e assim há um efeito multiplicador da circulação monetária (ainda que depois já não consigam explicar como isso seria uma coisa boa).

Sempre que se escuta a palavra ‘Estímulo’ preparem-se para levar com um calhau na testa, pois se esta treta da janela partida cheira mal, é mesmo porque há algo podre ali escondido debaixo da máscara. Entra então o Unseen Effect. O que não foi visto, porque, infelizmente, não chegou a existir, foi abortado.

Ocorre que a pedrada não só partiu a janela, como também destruiu aquilo que o agricultor iria fazer com o seu tempo e dinheiro que foi forçado a gastar na reparação do trator. Talvez tivesse plantado mais batatas, e assim produzido mais, tornando a comida mais barata para toda a gente à sua volta. Talvez tivesse investido o dinheiro numa arca frigorifica, melhorando a qualidade da sua produção e reduzindo o desperdício. Nunca se saberá, já não se poderá ver.

Certamente que o agricultor tinha melhores ideias para o seu dinheiro, mas por acção dos calhaus que destroem por prazer, ficou toda a gente a perder, ficou toda a gente mais pobre, apenas para a satisfação de uns arruaceiros com instintos violentos. Precisamente o mesmo tipo de gente mesquinha que está feliz da vida com a ditadura sanitária, mais os motins racistas; os antifas; as moratórias ao crédito; os bares e restaurantes fechados; as cidades sem turismo; o recolher obrigatório; o desemprego e toda a interminável lista de desgraças que já não dá para ocultar.

O comunavírus acabou por partir muito mais janelas do que as que havia em Beirute no dia da explosão, mas não foi um acidente. Não se enganem, a destruição provocada pelos Lockdowns não é um imprevisto, nem um acaso. É de propósito. Os marxistas juram a pés juntos que a guerra é boa para a Economia e que rebentar bombas na cabeça dos outros, até faz aumentar o PIB. Portanto, ficam sempre contentes quando vêm uma oportunidade de partir vidros.

Essa gentalha continua a dizer que são motivados por uma boa causa, que é necessário apedrejar os dissidentes, para assim ajudar os vidraceiros, ou combater um virus, ou estimular a economia, ou porque têm medo da tosse e são racistas ou lá que mentira nova se lhes ocorre. Independentemente do que digam, a janela está escancarada, dá para ver à vista desarmada, que não passam de vândalos, criaturas sem vergonha debaixo da máscara, que não só não pagam pelo estrago que fazem, como exigem ser sustentados por quem tem de reparar.

Post Anterior

Post Seguinte

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest